Cadastre-se

Como proceder com alunos desmotivados

O desinteresse dos alunos na sala de aula.

Existem certos problemas no ambiente escolar que são praticamente impossíveis de não ocorrer, sendo a desmotivação do aluno um dos mais preocupantes, fato rotineiro que ocorre com profissionais de todas as áreas da educação e em diferentes níveis de ensino.

Considerado como um problema de difícil resolução é fundamental que o professor compreenda o que vem a ser a motivação e como ela se constrói.

Geralmente a falta de motivação é originada das características próprias do aluno e do ambiente escolar como um todo, fazendo com que o aluno passe a ter medo do próprio fracasso escolar e de como lidar com ele.

Ressalta-se que os pais, os colegas e o grupo social no qual este jovem se relaciona, também contribuem para a sua desmotivação.

Determinados alunos apresentam grande dificuldade em interagir com certas atividades, outros apresentam resistência total no sentido de adquirir conhecimentos, se isolando dos demais colegas, negando a participar das atividades propostas, bem como não apresentando interesse qualquer em realizar algo que se refere à aprendizagem.

O professor deve ficar atento ao comportamento de seus alunos, visto que podem partir desde aqueles jovens mais agitados, tanto aos jovens desligados e inquietos.

No sentido de ajudar o aluno desmotivado, o professor deve se preocupar com o ambiente escolar, em especial a sala de aula, o desenvolvimento das atividades, a organização e principalmente a relação professor/aluno e o processo avaliativo.

Com o objetivo de contribuir com os professores que muitas vezes no exercício da profissão apresentam o verdadeiro interesse em ajudar o aluno desmotivado, segue abaixo algumas sugestões baseadas em estudiosos da área com o objetivo de auxiliar o educador na prática, motivando seu aluno, independente da disciplina ou série em que se encontra:

• Aplique o conteúdo com entusiasmo, evitando aulas “mecânicas”;

• Faça com que o aluno compreenda o que está sendo ensinado, ao invés de apenas memorizar;

• Busque sempre relacionar os conteúdos com fatos da atualidade;

• Elabore atividades que possa detectar a evolução do aluno;

• Estabeleça um ritmo de aula de forma que todos possam acompanhar o raciocínio que exige o conteúdo;

• Quando o aluno apresentar dificuldades, apresente a ele pistas proporcionando oportunidades para superar as dificuldades, fazendo com que o aluno exerça seu próprio raciocínio;

• Ao iniciar a aula estabeleça metas e objetivos dessa, porém, baseados no ritmo da turma, combinando regras para que não seja desviado o objetivo da aula;

• No momento da avaliação, o ideal é que o professor evite comparações, ameaças, ou seja, condutas negativas que possam vir a refletir maleficamente na auto-estima dos alunos.

O professor sendo mediador do conhecimento é responsável por realizar essa função da melhor maneira possível, buscando sempre se manter atualizado, podendo formar cidadãos cada vez mais capacitados.

Por Elen Campos Caiado
Graduada em Fonoaudiologia e Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Sugestões Pais e Professores - Educador - Brasil Escola

  • domingo | 23/03/2014 | Raphael Rodrigues

    Acredito que o processo de aprendizagem para aqueles alunos desmotivados vai além de "receitas de bolo" prontas. Já que este é um processo de aprendizagem vejo que muitas outras abordagens podem ser sugeridas além destas que considero básicas. Falar em estratégias quero dizer o uso de tarefas motivadoras destes alunos desmotivados com o ensino clássico.

  • segunda-feira | 06/05/2013 | Ana de Araujo ...

    Ola querida, quero agradecer as dicas maravilhosas mencionadas aqui, de contra partida tenho a dizer que todos os dias procuro fazer o melhor de mim enquanto profissional, procuro sempre ler uma historia antes do inicio de qualquer atividade, crio caminhos mais fáceis para que os mesmos encontre prazer no decorrer das atividades. Tenho um aluno que já não sei i que fazer, os pais estao em processo de separaçao, então ele quer detonar na sala, diz não gostar de estudar, não gosta da escola, não aceita as explicaçoes, nesta hora, enfim se vcs. tiverem alguma dica, me passe, essas que vcs. enumeraram acima já as ultilizo, atuo no quarto ano do ens. fund. I, frequenta o SOE, mas infelizmente não estou tendo muito sucesso. Deixo aqui o meu abraço. Ana Lima.

  • terça-feira | 20/12/2011 | Angela Paes

    Seria até bem melhor se o comportamento humano oscilasse apenas dentro de duas categorias: motivação e desmotivação. Viveríamos assim dentro de uma ciclotimía: ou estaríamos encontrando estudantes motivados para aprender; para realizar as tarefas necessárias, etc ou trataríamos de estudantes sem interesse, envolvimento com as questões da aprendizagem. O fato é que a ação motivada é mais rara do que podemos imaginar. E mais, a conduta desmotivada só retrata a perda de uma ação antes motivada. Só isso! Temos de admitir um outro campo aonde a ação humana se inscreve pela força da influência dos estímulos do meio. A isto chamamos de condicionamento, ou movimento - como queiram! Angela Paes!

Brasil Escola nas Redes Sociais