Cadastre-se

Trabalhando os Vícios de Linguagem


Saber reconhecer os vícios de linguagem reforça a competência linguística

Muitos alunos não têm o hábito de reler sua produção textual, às vezes por pressa, por desinteresse ou por falta de incentivo por parte do educador.

Além de a escrita ser um hábito constante, ela também precisa ser revisada, pois, ao escrevermos, as ideias vão fluindo naturalmente, e às vezes algo que precisava ser modificado ou acrescentado fica a desejar, comprometendo a qualidade do texto.

Um exemplo que retrata claramente esta questão são os chamados “Vícios de Linguagem”, com ênfase especial ao Pleonasmo e à Redundância.

São falhas ocorridas tanto na linguagem verbal quanto na escrita, e que fazem parte do cotidiano dos jornalistas, repórteres, artistas de uma forma geral, escritores, entre outros.

A redundância é um vício de linguagem que consiste na repetição de uma ideia antes apresentada, ou seja, é um termo desnecessário que nada acrescenta ao entendimento da mensagem. Vejamos algumas expressões representativas:

Fazer uma breve alocução
Ter o monopólio exclusivo
Ser o principal protagonista

Em todas elas o adjetivo representa uma demasia condenável, ou seja, alocução é “discurso breve”; não há monopólio que não seja exclusivo; e protagonista significa “principal personagem”.

Desta forma, fazer com que o aluno esteja sempre atento a esta ocorrência é fundamental para que o mesmo aprimore sua competência linguística e consequentemente aprenda a maneira correta sobre como redigir um bom texto.

Uma ótima alternativa para a obtenção do objetivo pretendido é sempre levar textos ou fragmento de textos e solicitar que o aluno detecte a presença dos vícios de linguagem e trabalhe a reescrita, eliminando o fato. Tal tomada de atitude fará com que ele perceba a necessidade da releitura para a construção textual.

Segue adiante um fragmento em há a ocorrência da redundância e a possibilidade de se criar um texto menos prolixo:

“Com o propósito de criar novos empregos - pois seu hábito era fazer planos para o futuro - o vereador da Câmara Municipal, amigo do brigadeiro da Aeronáutica (que havia sobrevoado a cidade inúmeras vezes), disse, em sua breve alocução, que ainda deverá demorar mais dez dias a apresentação de seu projeto, que enfrentará de frente a questão do desemprego, inaugurando uma nova era para as pessoas humanas conviverem juntas.”

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Orientações - Educador - Brasil Escola

  • sábado | 12/04/2014 | Guilherme

    Olá, boa noite! Gostaria de saber se a expressão "objetivo pretendido" caracterizaria um pleonasmo, pois, em se tratando de um objetivo, poderia estar subentendido que seria algo almejado, visado, pretendido. Grato pela atenção

Brasil Escola nas Redes Sociais