Cadastre-se

Primeiro dia de aula: como proceder?

Dentre os muitos obstáculos que perfazem a rotina de todo educador está a forma como proceder no primeiro dia de aula. Assim, algumas posturas são tidas como eficazes.

Como proceder no primeiro dia de aula representa um dos obstáculos enfrentados pelo educador
Como proceder no primeiro dia de aula representa um dos obstáculos enfrentados pelo educador

Durante alguns anos de sua vida, sobretudo em se tratando daqueles em que cursava a graduação, você se viu na qualidade de aluno (a). O tempo foi passando e enfim chegou aquele grande momento almejado por todos: o de sair da condição primeira e enfrentar o mercado de trabalho... posto ao seu inteiro dispor (com alguns requisitos, é claro!).

No entanto, muito pouco se discutiu sobre como proceder no primeiro de aula, como enfrentar desafios mediante o trabalho docente, como preparar suas aulas, enfim, várias outras questões que não são postas em prática quando o assunto é “prática pedagógica”. Mas de uma coisa não há quem duvide: a primeira experiência em sala de aula será desafiadora. O primeiro dia, por excelência, será um momento único, no qual medo e insegurança tendem a ser “companheiros” inseparáveis. Afinal, esse dia será o primeiro de tantos outros encontros que irão ocorrer e, sem sombra de dúvida, a expectativa é gerada de ambas as partes (professor X aluno), mas em se tratando do docente, a situação parece ser ainda mais complicada.

Dessa forma, em virtude de haver certa disparidade entre teoria e prática, ou seja, a realidade propriamente dita e a vivenciada no dia a dia, é que o artigo em questão abre este espaço, com vistas a discutir acerca dessa problemática tão recorrente.

Sendo assim, um dos aspectos que prevalecem sobre a questão diz respeito à forma adequada de atender aos docentes recém-chegados, como afirma Sonia Penin, professora da Faculdade de Educação (FE) da Universidade de São Paulo (USP) e estudiosa sobre o tema:

“A escola precisa ajudar esses profissionais a se tranquilizar, deixando claro que errar nessa etapa faz parte do processo de aprendizagem”.

Segundo ela, um dos caminhos a seguir é promover a integração entre esses novatos e aqueles que já atuam há mais tempo. Dessa forma, ressalta ainda “que vários professores o antecederam e, ao contarem suas dificuldades e como superaram os desafios, podem ajudar muito”. Ou seja, conhecer primeiramente as pessoas com as quais terá de lidar representa fator decisivo nesse processo. Assim, quem já “comanda” tem condições de explanar acerca do comportamento da turma e dos possíveis contratempos que porventura existirão, sem falar nas práticas adotadas, se eficazes ou não.

Antes de tudo é preciso criar um clima propício que favoreça a aprendizagem, como a postura do educador frente à turma, por exemplo. Mostrar domínio do conteúdo, de modo a estabelecer uma relação de segurança entre os aprendizes, representa fator preponderante. Não menos importante é se mostrar firme sem que tal procedimento exija traços de agressividade, haja vista que todo líder precisa ser hábil para comandar sua equipe. Isso não significa que tenha que se sentir o “maioral”, o detentor do conhecimento pronto e acabado, significa, no entanto, que entre a turma há alguém que indicará o norte, a direção.

Imprimindo lampejos de eficácia está o fato de o educador prestar-se ao serviço de fazer o reconhecimento da turma, em vez de falar sobre tudo aquilo que será abordado durante o ano, os conteúdos a serem aplicados, a forma de avaliação, entre outros aspectos. Mas como isso se dá?

Num primeiro momento, a disposição de carteiras em círculos permite uma visão global da turma, promovendo, assim, uma melhor interação entre todos. Feito isso, dá-se início às apresentações pessoais, aproveitando tal momento para captar as expectativas de cada um, tais como preferências de leitura, musicais, previsão para o futuro, hobbies, sonhos cultivados, entre muitos outros. Já o segundo dia de aula representa um momento propício para o educador se apresentar, não como pessoa, mas como profissional.

Nesse momento, é ideal que alguns pontos sejam efetivamente discutidos, como o sistema de avaliação, as regras adotadas para o bom andamento das aulas, direitos e deveres, enfim, muitos outros elementos.

Esses são alguns posicionamentos que tendem a representar alguma eficácia no que tange à relação ensino X aprendizagem, fazendo, assim, com que o primeiro dia se torne algo inesquecível (no bom sentido, obviamente!).


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

  • quarta-feira | 14/12/2011 | Rafaela Cruz

    Gostei muito do assunto abordado. Passamos uma boa parte do tempo na faculdade estudando várias teorias, porém, a prática ainda nos deixa inseguros. Obrigada pelas orientaçãoes no primeiro dia em sala de aula.

Brasil Escola nas Redes Sociais