Topo
pesquisar

Caixa Surpresa e Tátil – recurso didático eficiente

Orientações

PUBLICIDADE

Nas salas de educação infantil, a caixa surpresa é um excelente recurso didático para o professor, uma vez que aguça a curiosidade das crianças e estas ficam bem envolvidas no momento da atividade.

O professor pode utilizá-la de forma individual ou coletiva, dependendo do que quiser estimular ou mesmo avaliar no aluno.

Como forma individual, a caixa pode servir para trabalhar as sensações, ligadas ao tato e ao seu órgão do sentido. Nesse momento, o professor poderá utilizar retalhos de papéis, plásticos, tecidos, isopores, borrachas, lixas, dentre vários outros, onde irá formulando pequenas perguntas para as crianças, questionando se o objeto é liso ou áspero, grosso ou fino, mole ou duro, etc.

Em outro momento, o professor pode esconder um objeto dentro da caixa, a fim de que as crianças, de forma coletiva, descubram qual é esse elemento. Para isso, o professor deverá dar pistas aos alunos, que caracterizem e que levem ao raciocínio lógico, auxiliando o desenvolvimento dessa forma de pensar.


Concentração das crianças no momento da roda de conversa
sobre a caixa de atividades

Se colocar uma banana, por exemplo, o professor deve dizer que é uma fruta, tem a casca amarela, é branca, macia, doce, comprida, até que alguém identifique a mesma.

É interessante também que as crianças tenham a oportunidade de levar a caixa para casa, onde os pais deverão ser preparados para isso, com antecedência, recebendo a orientação do que pode ou não ir dentro da mesma. É bom destacar que os doces podem causar problemas, pois sempre tem crianças que não podem consumi-los, causando constrangimentos e maiores problemas.

No momento da discussão com a turma, do que está dentro da caixa, as crianças ficam soltas, muito envolvidas e alegres com a atividade, momento em que o professor deve utilizar para estimular bem a linguagem oral dos pequenos.

Um outro aspecto que pode ser cogitado no momento da caixa surpresa é que essa também serve para trabalhar aspectos emocionais. Nesse momento, o professor deve ser criativo e perceptivo em relação aos sentimentos dos alunos, propondo que, ao invés de tirar o objeto da caixa, que esta sirva para guardar os sentimentos ruins, como a agressividade – caso algum aluno brigue, a tristeza – caso perceba esse sentimento em alguma criança, a agitação – se alguém não consegue ficar quieto, etc., conseguindo assim, controlar o grupo para que não se disperse da atividade.

O bom é que um objeto tão simples pode proporcionar vários momentos agradáveis, de grande produção para os alunos e professores, servindo de instrumento para o aprendizado de todos.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Orientações - Educador - Brasil Escola

Cursos Brasil Escola + DE 1000 OPÇÕES >> INVISTA EM SUA CARREIRA! <<
Conteúdos exclusivos de biologia
CURSO DE BIOLOGIA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos de italiano
CURSO DE ITALIANO
12x R$ 6,66

sem juros

COMPRAR
CURSO DE MATEMÁTICA
CURSO DE MATEMÁTICA
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
Conteúdos exclusivos sobre o ENEM.
PREPARATÓRIO ENEM 2015
12x R$ 10,83

sem juros

COMPRAR
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola R7 Educação