Cadastre-se

Os efeitos benéficos e maléficos do Sol

 


Proteger-se desde cedo dos efeitos nocivos do Sol é um bom investimento à saúde.

Vivemos em um país cuja incidência dos raios solares é significativa. Em razão de tal fato, temos formações vegetais incríveis, com diversos outros organismos vivos associados, formando a nossa rica biodiversidade.

É incontável o número de situações nas quais podemos citar a importância do Sol, o nosso astro maior, cuja inexistência inviabilizaria a vida em nosso planeta. No entanto, seus principais raios podem provocar certos danos à nossa saúde, a curto e longo prazo, caso não tomemos certos procedimentos de forma correta. Diante disso, é importante que os (as) educadores (as) de Ciências e Biologia trabalhem com seus alunos tal tema.

Inicialmente, sugere-se questionar aos alunos sobre os benefícios e malefícios que o Sol pode nos causar. Provavelmente, dentre os malefícios, será pontuada a questão de queimaduras; sendo interessante o (a) professor (a) dar continuidade ao tema a partir daí, informando, primeiramente, quanto aos principais raios solares:

- Raios infravermelhos: provocam a desidratação da pele e sensação de calor;

- Raios UVC: podem provocar cânceres e queimaduras solares, mas raramente alcançam a superfície de nosso planeta, uma vez que são bloqueados pela camada de ozônio;

- Raios UVB: atingem camadas mais profundas da pele e, em excesso, podem provocar queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele;

- Raios UVA: principais responsáveis pelo bronzeamento solar, mas, em excesso, podem provocar o envelhecimento precoce, em razão da destruição de fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela elasticidade da pele.

Para dar continuidade, peça para que apontem quais seriam as melhores condutas a fim de evitar tais problemas, anotando no quadro. Acrescente as informações que achar relevantes e procure explicar o porquê de cada medida, por exemplo:

- Sempre usar protetor solar: é importante porque bloqueia a ação dos raios ultravioleta - considerando também que os UVA sempre estão em atividade, durante o dia, independentemente do clima e horário;

- Reposição do protetor solar: mesmo protetores à prova d’água não são capazes de resistir ao suor, e todos eles têm um limite de proteção;

- Evitar o Sol das 10h às 16h: isso é necessário porque é nesse período que os raios UVB estão mais concentrados;

- Escolher bem o filtro solar: é necessário porque nem todos protegem as pessoas contra os raios UVA, uma vez que o fator de proteção, FPS, refere-se somente aos raios UVB. Quanto a isso, o ideal é que seja de FPS 15 ou de número maior, uma vez que confere maior durabilidade.

Para finalizar, aponte que cerca de meia hora de exposição diária ao Sol é suficiente para se ter seus efeitos positivos, desde que seguindo as condutas corretas, como as citadas nos parágrafos anteriores.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador- Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais