Cadastre-se

O uso da calculadora na sala de aula

A calculadora não é vista por muitos pais e professores como sendo um recurso didático, pois acreditam que impossibilita ou até atrasa o raciocínio do aluno, mas isso não passa de um simples preconceito.

Lógico que só é aconselhável fazer uso da calculadora como recurso didático com alunos a partir do 7º ano do ensino fundamental, pois já compreendem como é feito todas as operações básicas.

Partindo do ponto de vista que a calculadora inibe o raciocínio do aluno, encontramos falhas nesse argumento, pois a calculadora reproduz operações mecânicas que ao serem feitas manualmente são realizadas sem raciocínio algum, portanto a utilização da mesma para realização apenas de operações com algarismos habituais não teria problema algum.

Observando com atenção iremos perceber que quem realmente condena o uso da calculadora são os adeptos ao ensino tradicional, pois encaram a educação matemática como sendo um mero “mecanismos de cálculos” e a calculadora impede esse tipo de trabalho.

Alguns professores que não se julgam tradicionais e que são contra o uso de calculadoras partem do pressuposto de que nos vestibulares não é permitido o seu uso, mas o fato do aluno a calculadora na sala de aula não significa que não saberá fazer cálculos importantes, afinal, é fato que nos vestibulares de hoje em dia avaliam a capacidade de o aluno relacionar conteúdos, raciocinar e não de fazer operações extensas.

Até mesmo as calculadoras científicas que muitas vezes são utilizadas apenas por estudantes do ensino superior de áreas específicas podem ser manuseadas por alunos do ensino médio que teriam curiosidade pelas teclas que calculam os valores pertinentes a trigonometria (seno, co-seno, tangente) e sobre os números escritos na notação científica que são apenas indicados pelos livros didáticos.

O maior desafio dos professores de matemática é tornar essa disciplina agradável, aplicada ao cotidiano, tornar possível através dela estimular o raciocínio lógico, mudar a visão de que saber matemática é um privilegio de poucos, mas isso só será possível se o objetivo maior da matemática não for fazer “contas”. Desse modo à calculadora pode ser uma forte aliada.

Afinal manusear corretamente uma calculadora cabe a quem sabe Matemática.

Por Danielle de Miranda
Graduada em Matemática
Equipe Brasil Escola

Estratégias de Ensino - Matemática - Educador - Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais