Cadastre-se

O Renascimento e a arte do período

O nascimento de Vênus (1945) – Sandro Botticelli
O nascimento de Vênus (1945) – Sandro Botticelli

O Renascimento foi um movimento das grandes manifestações artísticas de pintores e escultores italianos, mas também teve outras abrangências no campo político filosófico e por isso mesmo inovou e reinterpretou o pensamento e a cultura na Europa.  No período renascentista, o homem estava dividido entre o teocentrismo e o antropocentrismo medieval, esse homem enxergava-se ainda de forma coletiva e não de forma individual, ele não tinha a consciência do EU e que podia pensar, ou seja, racionalizar sem a intermediação da Igreja.

Em sala de aula o destaque sobre a visão de mundo que o homem tinha na Renascença se faz necessário. O período de transição é complexo para o entendimento do aluno, é difícil colocar-se no lugar do outro sendo que o outro vivia em um tempo que não condiz com a realidade de hoje. Entretanto, em determinado momento há uma semelhança. Não existe uma ruptura total da História, existem as permanências.

Trazemos conosco, mesmo de forma muito modificada, traços de um legado cultural, filosófico e político do período renascentista. É papel do professor de História abordar isso de forma clara ao aluno. Certamente é mais um desafio do ensino da História. Por isso, trabalhar em sala com imagens de pinturas, esculturas de artistas do Renascimento é tão expressivo, pois o apelo visual é muito forte e gera certo encantamento. Esse material ajudará no entendimento, incitará o debate, a crítica e facilitará a identificação das ideias principais do movimento como:

Os pensadores e pintores renascentistas não se opunham à religião, mas buscavam a autonomia humana; 
O retorno à cultura clássica greco-romana; 
A valorização das potencialidades humanas: aprofundamento do emprego da razão, do espírito crítico, da criatividade e das experiências individuais; 
Inovações técnicas e científicas;
Expansão da produção artística;
O resgate do papel da mulher na renascença.

A pintura renascentista nesse contexto é para o professor de História uma espécie de matéria-prima, ou seja, um registro histórico. Ela oferece os elementos básicos e essenciais sobre determinado fato. Sem os registros históricos seria impossível reconstruir a história, já que não haveria nenhum vestígio sobre o passado, mas é preciso compreender que nenhuma pintura, nenhum documento traduz de maneira completa e definitiva a realidade objetiva sobre um determinado acontecimento, pois ela está impregnada da visão de mundo de quem deixou o registro.

Vênus, na mitologia romana, é a Deusa do amor, do belo e da fertilidade.  A origem de Vênus se deu da união do céu e da terra - Urano e Gaia, respectivamente, esses foram responsáveis pelo nascimento dos primeiros humanos, denominados Titãs. A lenda conta que Gaia pediu a um de seus filhos que castrasse o pai, e assim foi feito. Os membros cortados foram jogados ao mar e no local surgiu uma espuma; dessa espuma nasceu Vênus, com toda a sua perfeição. Zéfiro é o Deus do vento e Flora, sua esposa (acima da tela no canto esquerdo superior), tem o poder sobre as mais variadas sementes, flores e plantações cultivadas na terra. Hora, filha de Zeus, (a direita da tela) simboliza uma das quatro estações do ano.

Sandro Botticelli usa e abusa das características renascentistas brilhantemente. O pintor buscou inspiração através do relato mitológico de Ovídio. O Renascimento é o retorno da cultura clássica greco-romana e a beleza da pintura está representada na figura central de Vênus, ela está nua e ao mesmo tempo em que essa nudez simboliza pecado, simboliza também a inocência, a castidade e quase uma santidade.

A simbologia contida na obra é essencial para a leitura de Botticelli, pois em O nascimento de Vênus o pintor funde os novos ideais cristãos com os ideais pagãos da mitologia romana. O artista enaltece a natureza e usa as cores de forma refinada, as linhas da pintura sugerem um ritmo suave e harmônico. 

Peça aos alunos que observem o quadro e enquanto isso passe algumas informações a eles sobre as figuras que compõem a tela.
Pergunte aos alunos se eles conseguem captar alguma característica renascentista na obra.
O professor, ao preparar a aula, observará que a pintura contém a maioria das expressões do período.
Depois disso, consequentemente o debate surgirá. Procure não fugir do tema. 
Levante questionamentos sobre os pequenos elementos que se encontram no quadro. 

Por Lilian Aguiar
Graduada em História
Equipe Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais