Cadastre-se

Música e censura na Era Vargas

Wilson Alves, autor do samba O Bonde de São Januário
Wilson Alves, autor do samba O Bonde de São Januário

Durante o Estado Novo, Getúlio Vargas desenvolveu uma política estrategista de dominação, que incluía, entre outras coisas, a propaganda. Inspirado nas técnicas de propagandas nazifascistas, em 1939 Vargas criou o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), órgão subordinado diretamente ao presidente da República.

O DIP era o órgão responsável por produzir textos, programas de rádio, documentários cinematográficos e cartazes em que o presidente aparecia de forma bem paternalista. Além desse controle, o DIP exercia de forma severa a censura sobre os jornais, as revistas, o teatro, o cinema, a literatura, o rádio e as demais manifestações culturais. O rádio foi, sem dúvida, um dos órgãos mais fiscalizados, pois era o meio de comunicação que atingia as mais diversas classes.

O samba O Bonde de São Januário, de autoria de Wilson Batista, foi censurado. A letra original dizia: “O bonde de São Januário/leva mais um sócio otário/só eu não vou trabalhar”. O DIP determinou que a letra fosse modificada. Veja como a letra ficou:

O Bonde de São Januário

Quem trabalha é quem tem razão
Eu digo e não tenho medo de errar
O Bonde de São Januário leva mais um operário
Sou eu que vou trabalhar
Antigamente eu não tinha juízo
Mas hoje eu penso melhor no futuro
Graças a Deus sou feliz vivo muito bem
A boemia não dá camisa a ninguém
Passe bem!

Composição: Wilson Batista

Professor, ao trabalhar em sala de aula a letra de uma canção que passou pelo crivo da censura no Estado Novo é indispensável que seu aluno perceba:

  • O quanto o malandro (ou seja, a malandragem) foi condenado na Era Vargas.
  • A importância da exaltação do trabalho no projeto do Estado Novo.
  • A censura como objeto dominador político.
  • O DIP como instrumento de coerção social.

Lembre-se de comentar e explicar que:

  • O trabalho para Getúlio Vargas era um forte instrumento de integração das massas trabalhadoras na política.
  • A concretização do Estado Novo dependia da formação de um homem novo, lutador, trabalhador.

Peça ao seu aluno que:

  • Identifique e faça um paralelo da versão original à versão modificada na letra do samba. Existe muita diferença entre as versões?
  • Pesquise sobre outras manifestações artísticas que foram censuradas pelo DIP no Estado Novo.
  • Responda: o Brasil ainda vive na ditadura da censura? Sim ou não? Justifique.

Observação: Sugiro ao professor que recolha as atividades na aula seguinte e as avalie.


Por Lilian Aguiar
Graduada em História
Equipe Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais