Cadastre-se

Leitura


Alunos em momento de leitura na sala de aula

A leitura está comprometida em sala de aula. Os alunos recebem a todo tempo folhas e mais folhas fotocopiadas em preto e branco com pequenos textos ou histórias.

A tendência dos professores é fazer dessas folhas um modo de incentivo à leitura. No entanto, na maioria das vezes, o aluno despreza o conteúdo ou por não ser de seu interesse ou por não fazer parte de seu dia-a-dia. Além disso, a disposição do estudante, de modo geral, é o de não valorizar aquilo que recebe pronto, já feito.

Uma dica para o professor, seja qual série for, é discutir em sala a importância da leitura, mas não só em debate, na discussão verbal sobre o assunto, mas também na prática.

Primeiramente, o educador deve disponibilizar pequenos textos de jornais, revistas, livros, internet, e então, escrevê-los ou colá-los em pedaços de cartolina. Estes textos deverão nortear o mesmo tema, como por exemplo: “A devastação na Amazônia”.

É importante o educador atentar-se para escolher um assunto de acordo com o perfil da turma para gerar maior interesse, e não um tema significativo só para si mesmo.

Então, o professor escreve no quadro “A devastação na Amazônia” e convida os alunos a refletir e discutir o tema. O educador deve estar atento ao tempo e não permitir que ultrapasse quinze minutos, além de fazer um acordo com a turma desde o início da aula: todos deverão levantar a mão para ter permissão a seguir com a palavra.

Após esse primeiro momento, o professor distribui os textos sobre o assunto para alguns alunos, os quais deverão ler para toda turma. É importante que os textos sejam relativamente pequenos ou no máximo médios, para não ocorrer a dispersão da turma durante a leitura.

Depois da leitura, o educador propõe nova discussão ou um debate (de um lado os que apóiam a devastação em certo grau para benefício da industrialização e de outro os que não aprovam de modo algum).
Ao final, o professor sugere uma análise da primeira discussão (antes da entrega e leitura) e da segunda (após a entrega e leitura dos textos).

Essa atividade é para internalizar no aluno a importância da leitura e da reflexão do que se lê, além da troca de experiência com os colegas.

A partir dessa reflexão, o educador pode começar a inserir pesquisas para serem feitas em casa sobre determinado assunto que será abordado. Essas investigações podem ser tanto para trabalhos escritos (manuscritos) quanto para serem divididos em breves momentos de discussão em sala.

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de Esnino - Educador - Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais