Cadastre-se

Fototropismo

As plantas não se locomovem, mas, no entanto, são capazes de se movimentar. Os tropismos podem ser utilizados como exemplo para esta afirmação. Eles consistem em movimentos vegetais orientados por um estímulo, ocorrendo devido ao alongamento celular em determinadas regiões em detrimento de outras, devido à migração de um hormônio vegetal, chamado auxina, para as regiões pouco iluminadas.

Este efeito provocado pelas auxinas sobre as plantas é muito interessante e pode ser facilmente demonstrado em sala de aula. Para auxiliar o professor, o texto “Auxinas”, do Brasil Escola, discorre sobre este hormônio, incluindo aí informações sobre o fototropismo e outros efeitos provocados por ele.

Para demonstrar o fototropismo, existe este vídeo, feito por estudantes, que o demonstra. O experimento executado por eles é simples, e pode ser reproduzido em sala de aula.

Como requer certo intervalo de tempo para que os resultados sejam claramente vistos, o educador tem a opção de iniciá-lo antes de sua aula sobre hormônios e/ou movimentos vegetais; para que, quando tais conteúdos forem ministrados, tenha condições de mostrá-lo e explicar o ocorrido. Além disso, essa ideia torna-se uma forma de instigar os alunos quanto ao que pode estar ocorrendo, caso o sistema fique em sala, enquanto o momento da explicação não chega.

Para executar o experimento será necessário:

- Feijões crus;
- Garrafa PET cortada na base;
- Algodões;
- Uma caixa de sapato com tampa;
- Papelão;
- Régua;
- Compasso,
- Caneta ou lápis;
- Fita dupla face;
- Estilete.

Como proceder:

Umedeça um algodão, coloque-o na base da garrafa PET e, em cima, insira três grãos de feijão. Quando começarem a germinar, mantenha somente um dos pés de feijão, retirando os demais.

Com uma régua, meça a altura e largura da caixa de sapato; e recorte três estruturas de papelão de acordo com as medidas obtidas.
 


Com o compasso, faça uma circunferência no meio de uma das estruturas de papelão. Nas restantes, faça, em cada uma, um círculo em suas extremidades, e recorte-as, utilizando o estilete.

 


Com a caixa em pé, faça em uma de suas laterais outra circunferência. Recorte-a.
 

 

Com a fita dupla face, una as três estruturas na caixa, de acordo com o desenho:

Após cumprir todas as etapas anteriores, coloque o pé de feijão no centro da base da estrutura formada, e tampe a caixa.

                    

O que acontece:

O pé de feijão crescerá em aproximadamente duas semanas, percorrendo os espaços contendo os buracos. Graças às auxinas, a planta se volta para o sentido em que a luz está mais intensa: é o fototropismo. O lado menos iluminado da planta cresce mais devido às maiores concentrações de auxina, provocando o alongamento das células ali presentes.

Sugestões:

Dia após dia, o sistema poderá ser fotografado, a fim de registrar, passo a passo, o movimento da planta. Ao final do experimento, pode ser interessante montar um painel fotográfico, a fim de divulgar tais informações a todos da escola.

Outra sugestão é criar outro sistema semelhante, porém com todas as aberturas feitas no centro do papelão e caixa, a fim de comparar os resultados:


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Biologia - Estratégias de Ensino - Educador - Brasil Escola

Brasil Escola nas Redes Sociais