Cadastre-se

A fase da alfabetização e o “alfabeto de figuras”


Modelo de alfabeto para as crianças

No início da alfabetização a criança aprende o seu próprio nome, além da identificação das palavras que possuem cada letrinha do alfabeto.

Uma sugestão interessante é fazer o “alfabeto de figuras”. Para cada letra do alfabeto uma figura correspondente é colada. Por exemplo, para a vogal “a” é colada uma figura de uma abelha, para a consoante “b” a figura de um bolo, e assim por diante. A professora deve providenciar o material utilizado para a aula: livros usados, revistas velhas ou jornal para serem recortados, além de cartolinas, colas e tesouras sem ponta.

Os alunos serão divididos em grupo e também dividirão a cartolina, o que promoverá maior união entre eles, além de noções de divisão de tarefas, liderança, e trabalho em grupo.
Em uma aula os alunos escreverão as letras do alfabeto na cartolina e recortarão as figuras, na outra aula eles irão colá-las e os trabalhos serão expostos em sala e também em murais na escola, se possível. O professor deve lembrar-se de entregar um “saquinho” plástico para cada grupo, para que eles possam guardar as figuras recortadas para a próxima aula.

Esse trabalho trará segurança para os alunos quanto ao alfabeto, já que a produção do mesmo depende da autonomia de cada um, além de trazer uma reflexão quando na busca por figuras em associação às letras correspondentes e também implicará na ligação da forma escrita com a pronúncia da letra.

Ao olhar seu trabalho exposto na escola o aluno se sentirá detentor do seu próprio saber e estará mais seguro quanto a essa etapa de aprendizagem tão nova, e ainda se sentirá valorizado pelos professores e alunos que irão admirar o trabalho durante os intervalos.
Para o professor é uma forma de avaliar o conhecimento dos alunos quanto à aprendizagem do alfabeto.

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Português - Estratégias de Esnino - Educador - Brasil Escola

  • segunda-feira | 04/03/2013 | DOLORES VIVIAN...

    MUITO BOM

Brasil Escola nas Redes Sociais